Fundação SM
Christine Fontelles
Espaços de leitura na escola
Christine Fontelles
A autora considera ser a biblioteca um espaço privilegiado de leitura destacando a importância da adequação e disposição dos móveis, acervo e atendimento. Defende que a biblioteca deve ser pensada pela comunidade educativa a partir do projeto político pedagógico da escola e deve refletir seu compromisso com a formação integral do aluno.

Para a especialista, a sala de aula e a biblioteca devem atuar de forma complementar, apoiando, instigando e compondo a integração entre o saber científico, as competências socioemocionais e a cidadania. Lembra que as crianças das décadas de 1950 e 1960 só tinham a escola onde o mundo era apresentado. “Hoje a leitura é uma possibilidade a mais e muito importante. A literatura é como o meio ambiente, uma preciosidade que deve ser cuidada e preservada durante toda a vida. É preciso criar e facilitar esse acesso. Leitura é bagagem para os desafios habituais. Precisamos formar o leitor para que ele tenha suas próprias experiências e siga o curso criativo da literatura para atender suas demandas. A leitura está no foco dos nossos programas porque acreditamos que não há outra forma de contribuir para o crescimento pessoal. A imagem nunca vai ativar em você a percepção que a leitura provoca.”

Sobre a educadora:
Graduada em Ciências Sociais com MBA em marketing pela FIA/FEA/USP, é diretora de Educação e Cultura do Instituto Ecofuturo. Criado em 1999, como OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público).
Voltar